sexta-feira, 24 de maio de 2013

AVATAR E SEU SIMBOLISMO


AVATAR e o simbolismo iniciático



            A maior parte dos filmes e contos de fada, bem como sagas e assemelhados conta uma história padrão. É o caminho iniciático, percorrendo inúmeras dificuldades para se encontrar o céu ou paraíso. Avatar não é diferente. Apesar das críticas positivas que já o filme recebeu de inúmeros cinéfilos, bem como de sua qualidade impecável de imagem e som, além da qualidade extraordinária da versão blueray 3D, resta o seu simbolismo. O filme deslancha pela criatividade e pelo bom gosto de sempre de James Cameron, o diretor de Titanic, Exterminador do Futuro e tantos campeões de bilheteria.
            O protagonista Jake assim deve vestir o seu avatar, mas não sem antes passar por uma prova de morte simbólica, o que se vê bem claro nas câmaras a que tem de entrar a fim ingressar nesse mundo dos avatares, seres maiores e mais ágeis que os humanos, que vivem em perfeita harmonia com a natureza, em dimensão holística. Esse rito se opera em muitas culturas e em especial no xamanismo, onde esse mundo astral ou espiritual, verdadeira dimensão paralela, é acessada e compreendida, a fim de se perceber que a morte não passa de mera passagem para uma outra forma de vida, além de se conhecer o mundo invisível. A transformação do protagonista se faz pelo progresso de ganhar pernas (ter liberdade e vontade...) e ao conhecer sua contraparte feminina, a bela Neitiry, avatar por natureza, e não por incorporação. Ela assim dá a síntese de yin e yang, ou do sol e da lua, uma visão alquímica.
            A bela Neitiry assim leva Jake a sua cultura, a sua cosmovisão. Ele se vê inserido em uma missão militar (profana) e por fim vai contra a mesma, se tornando verdadeiro iniciado (pois iniciado significa o que nasceu duas vezes). Ao longo desse simbolismo iniciático passa por caminhos de outros elementos, como o da água, o do fogo e ar (simbolizado no dragão, que é resumo dos 4 elementos. As dificuldades ao longo do caminho são os graus de progresso nessa senda e o herói acaba por se revelar a cada momento a favor do mundo avatar, pelo sacrifício (da cruz ou corpo...) em prol da humanidade (Sol que ilumina a todos...). Toda essa simbologia pode ser enquadrada nas esferas da árvore da vida da cabala, que pode ainda ter analogia com planetas e divindades antigas, ou mesmo anjos e santos da cultura judaico-cristã. Avatar é um filme assim que soma todo esse saber em uma nova mitologia, claro que reproduzindo um saber semelhante ao da Atlântida, através de terras flutuantes e dragões, bem como uma civilização aparentemente perfeita. Me pareceu quando o vi pela primeira vez que foi uma homenagem a povos indígenas, e crítica a cultura do homem branco e suas máquinas, mas vi que ambas têm seu progresso e evolução, e que a alma do homem se inicia mesmo na escola da vida, para por fim encontrar a iluminação.

3 comentários:

  1. Você sempre cheio de idéias brilhantes como o brilho do por do sol com palavras que flutua da sua inspiração escrevendo textos super interessante e cheio de conhecimento. Parabéns amigo!!!!

    ResponderExcluir
  2. Mariano soltys: Avatar é um meio homem e meio Deus. É assim que os anaquins da Bíblia são gigantes resultantes da união entre humanos e anjos. No hinduísmo o casamento do elefante com a princesa o elefante, um animal, simboliza uma entidade angelical. A mesma mescla vemos na cultura judaica, na grega, na egípcia, em algumas tribos indígenas e o Deus Homem é a Virgem Maria concebendo do Espírito Santo. CLÉVERSON ISRAEL MINIKOVSKY

    ResponderExcluir
  3. Oi Nery.. que legal vc sempre estar lendo meus textos, muito obrigado. E cléverson, sobre isso falávamos ontem, e parece que as religiões conversam na mesma simbologia. São conhecimentos elevados que nparecem se ocultar por traz do Avatar e de muitos outros filmes, como Star Wars, Matrix etc

    ResponderExcluir